Sem título15

Black Friday x crise: Quem venceu ?

Sempre que se aproxima o final do ano, há uma grande expectativa no mundo econômico , principalmente entre os varejistas , sobre qual será o volume de vendas. E uma das datas mais aguardadas é , sem dúvida , a Black Friday.

Mas  por que a Black Friday é tão importante assim? O natal não é o periodo de compras mais aguardado pelos consumidores e pelos comerciantes?

Há 3 fatores que tornam a Black Friday muito relevante para o comércio :

  1. Serve como parâmetro ou ‘termômetro’ para o natal. Ou seja se ocorre um bom volume de vendas na Black Friday, a tendência é  que o mesmo ocorra no natal. O inverso também é verdade: Se as vendas na BF forem fracas, não espere um ‘milagre’ no natal;
  2. É a  melhor oportunidade para se zerar os estoques de mercadorias encalhadas, que estão  saindo de linha ou com baixo giro , liberando espaço físico para que possa trabalhar com os produtos ‘top de linha’ nas semanas seguintes e que antecedem ao natal;
  3. Aproximadamente 20% dos consumidores antecipam as compras do natal para a Black Friday , aproveitando os descontos especiais que são oferecidos.

Mas nosso país enfrenta uma forte crise econômica. Será que os resultados da Black Friday não foram afetados? Será que este ano não foi uma grande decepção ?

Antes de responder a estas perguntas, Irei responder a 2 outras que me fazem com frequência, e que talvez sejam suas dúvidas também :
  • Como surgiu a Black Friday?
  • Por que têm este nome esquisito?

Black Friday : a origem

Para conhecermos a origem da BF , voltaremos no tempo, mais especificamente à década de 60.

Nos Estados Unidos, há um feriado muito importante para o povo americano , chamado de Dia de Ações de Graças ( Thanksgiving Day). Neste feriado, observado como um dia de gratidão a Deus, as famílias se reúnem para orações e festas de agradecimento, pelos bons acontecimentos ocorridos durante o ano.

Este feriado é comemorado na quinta feira da quarta semana de novembro, o que corresponde a última quinta de novembro.

Até as décadas de 60 e 70 do século passado, era considerado inadequado, para muitos até pecado, o comércio americano começar a fazer promoções,  campanhas e anúncios de natal antes do Dia de Ações de Graças.  E os comerciantes não gostavam muito disto, pois tinham que esperar até o final de novembro (menos de um mês para o natal), para começarem a lucrar com as vendas de fim de ano.
Então para tirarem o ‘atraso’ e começarem a vender de forma explosiva logo após o feriado ,que é  na quinta feira, passaram a criar mega promoções,  principalmente para o primeiro dia de ‘liberação’ das campanhas natalinas, que era a última sexta de novembro. E assim que começaram a fazer  isto, a resposta dos consumidores foi imediata.  Em muitas cidades, como na Filadélfia,  o dia já começava com muito tumulto e confusão.  O trânsito ficava uma loucura, filas se formavam nas portas das lojas antes mesmo delas abrirem. A polícia local tinha que trabalhar em dobro para manter a ordem. E foram eles que passaram a chamar este dia tumultuado de ‘sexta-feira negra ‘ , que no idioma deles é Black Friday.

Com o tempo, e principalmente com a chegada do comércio eletrônico,  a prática comercial de fazer super promoções na última sexta de novembro se espalhou por todo os Estados Unidos, sendo adotada até  por outros países,  como o Brasil.

Não temos o Dia de Ações de Graças,  mas a Black Friday já  é nossa e veio para ficar.

A Black Friday venceu a crise ou foi engolida por ela?

Agora você está ciente do importância da BF e conhece sua origem. Chegou a hora de saber se este ano em especial ela foi forte o suficiente para superar a onda de pessimismo do mercado .

Contra fatos não há argumentos. O que dizem os números? Vejamos:

Faturamento geral: R$ 1,60 bilhão . No ano anterior o faturamento foi de R$ 1,16 bilhão . Ou seja , um fantástico crescimento de mais de 38%.

O número de vendas registradas foram de 2,77 milhões . Isto significa que, em média, o valor de cada venda individual (ticket médio) foi de R$ R$ 580,00 .

Veja este e outros dados da Black Friday deste ano no gráfico abaixo:
info_BF_parte2

Não resta dúvida,  a Black Friday ganhou da crise, e de goleada.

Mas Carlos, como isto é possível. As vendas no varejo está caindo mês a mês,  e minhas vendas também não aumentaram na Black Friday. Então como estas empresas faturaram tanto?

Existe um segredo para isto. E ele se chama e-commerce.

As vendas online estão em crescimento crescente aqui no Brasil , mesmo com a crise no mundo ‘real’.

Foto

E é  justamente online que os consumidores vão buscar as melhores promoções e realizam o maior volume de compras da Black Friday.

Por exemplo, vimos acima que o volume  vendas na BF foi de R$ 1,6 bilhão , destes 1,07 bilhão  de reais foram transferidos online (67%). Foram registrados 1,85 milhões de pedidos nas lojas virtuais de todo o país.
O que esta Black Friday, assim como as anteriores comprovou é  que as empresas que lucraram mais foram as que tinham uma presença online bem estabelecida e estratégias bem definidas e de eficácia comprovada.
A Black Friday 2015 , por melhor que tenha sido, já é passado. Mas o natal,  ainda não.  E assim como na Black Friday, as vendas online irão superar a do ano anterior.  E o que você pode fazer para que sua empresa garanta uma boa fatia deste faturamento bilionário?

Que estratégias e ações devem ser implementadas desde já para que sua empresa seja notada , e até mesmo procurada pelos consumidores na internet?

Brevemente iremos responder a estas perguntas aqui em nosso blog.

Uma ideia sobre “Black Friday x crise: Quem venceu ?

Os comentários estão fechados.